sábado, 12 de abril de 2008

DURMO OU NÃO?


Durmo ou não?
Passam juntas em minha alma
Coisas da alma e da vida em confusão,
Nesta mistura atribulada e calma
Em que não sei se durmo ou não.
-
Sou dois seres e duas consciências

Como dois homens indo braço-dado.
Sonolento revolvo omnisciências,
Turbulentamente estagnado.
-
Mas, lento, vago, emerjo de meu dois.

Disperto. Enfim: sou um, na realidade.
Espreguiço-me. Estou bem...
Porquê depois,
De quê, esta vaga saudade?
-
FERNANDO PESSOA

4 comentários:

A Sonhadora disse...

Obrigada por nos dares Fernando Pessoa...sempre imenso...
Abraço e obrigada pela visita

Angel of Light disse...

"Mas, lento, vago, emerjo de meu dois.
Desperto. Enfim: sou um, na realidade." Somos só um, um "um" muito valioso, um "um" com um "Eu" muito precioso...cheio de Luz!

Belo poema de Fernando Pessoa, grande homem que, com as suas palavras, desconcertou a sociedade.

Fica bem. Boa semana.

Beijinhos cheios de Amor, Paz e Luz!

Sunshine disse...

Acabei de por no meu blog um poema de Fernando Pessoa.
O ontem já se foi, o amanhã não sabemos se virá...só nos resta viver o agora.

Gê Gaia disse...

Seu Blog é uma verdadeira Obra de Arte!
Um conjunto harmônico de "Poesia Visual"...
A cor branca do plano de fundo da página transmite uma imensa PAZ interior!
Parabéns!
Um abraço.