sábado, 5 de abril de 2008

JULGAMENTO PRÉ-CONDENADO


Acordamos um dia, e constatamos
Que estamos num mundo a que não pertencemos...
Nem sabemos quem somos, nem o que amamos,
E procuramos a razão para e porque vivemos
-
Tudo deixa então de fazer sentido
Desvanece-se a vida, fica tudo desunido,
Como um enorme puzzle ainda por fazer
Onde somos peça que parece a ele não pertencer
-
Tudo e todos que pensávamos fogosamente amar antes
Tornam-se assim meros inúteis, vazios, desesperantes,
Nada nem ninguém algo mais nos diz
E sabes logo que com eles não voltarás a ser feliz
-
Embora seja o mesmo, esse nosso velho mundo
Causa-nos agora um tal asco profundo
Que nos leva à loucura, e a só pensar
Em que tudo o que tínhamos, temos agora de mudar
-
Mas depois, chega o monstro da falta de coragem
Para assumir a todos essa grande viagem
De mudar de vida, e procurar a paixão
Esteja onde estiver, provar que temos razão
-
Temos medo dos outros, do que vão dizer
Afogamo-nos em nós, abdicando do prazer
De uma vida feliz procurarmos atingir
Sem nada nem ninguém donde queiramos fugir
-
Proibimo-nos de pensar, e tal como a avestruz
Escondemos esse desejo com um enorme capuz, e
Fingimos viver numa aparente intensa felicidade
Para os outros acreditarem que isso é mesmo verdade
-
E assim vamos vivendo, os anos por nós vão passando
E procuramos sempre nos ir mentalizando
Que estamos bem assim, que não podemos mudar
Pois continuamos a ter medo de que vão os outros pensar
-
Que se fodam os outros, que nem felizes são
Possivelmente ainda pior que nós eles estarão
Se nos vierem um dia a apontar o dedo
É só porque sabem que também só não o fizeram por medo
-
Depende de ti, escolheres o lado para estar...
Se dos tristes que apenas sabem criticar ou julgar,
Se daqueles que souberam com as regras romper
E que ainda que apontados, são felizes a valer
-
Sei que um dia, vais ter tu essa alegria
De seguires os teus sonhos, atingires a utopia
De viveres como queres e só com quem amas
De terminares de vez com essa vida de dramas
-
Todos os ‘’velhos do restelo’’ podem então criticar
Podem abrir os pulmões e bem alto gritar
Que tu nem sequer os vais ver ou ouvir
E a todos os insultos responderás a...sorrir!
-
LETRASALINHADAS

7 comentários:

Angel of Light disse...

LINDO, LINDO, LINDO!!! Qual sondagem, qual quê. Com palavras destas, só o burro é que não vê (hihihi...). Parabéns! Escreves ma-ra-vi-lho-sa-men-te!

"Pois continuamos a ter medo de que vão os outros pensar..."

Amigo, um dos grandes passos e viragens nesta nossa longa caminhada é perdermos o medo. Nós nascemos com AMOR mas crescemos com o medo.
Precisamos de "eliminá-lo". E, para isso, é necessário olhar para dentro de nós, auto-conhecermo-nos. A função do medo é essa mesma, impedir o nosso auto-conhecimento. Segue sempre o teu coração (como já vi que estás a fazer e, por isso, fico muito feliz) e... encontrarás sempre o caminho acertado.

Voltarei para lançar luzinhas sobre as letrinhas.

Beijinhos cheios de Amor, Paz e Luz!

Com Tintas e Pincéis disse...

Obrigada pelo teu comentário aos meus quadros e pela oportunidade que me deste em conhecer o teu blog. Já está adicionado aos meus favoritos.
Este poema está espectacular e tocou-me profundamente, principalmente porque pertenço a uma geração em que se dá muita importância ao que os outros pensam e com a qual, felizmente, NÃO me indentifico.
Um abraço

Sunshine disse...

As letras, não alinhadas como as tuas, porque as tuas estão bem alinhadas, que deixei no meu cantinho estão de algum modo relacionados. Eu já escolhi, e estou, do lado que quero estar.
Beijinhos com raios de Sol

O Profeta disse...

Fantástico caro amigo, prendi a espiração fui lendo egostei verdadeiramente...


Abraço

kakauzinha disse...

Olá, agradecida pela tua visita e pelas palavras carinhosas.

Também gostei de me sentar neste teatro e assistir a uma peça muito importante, cujo título lhe assenta que nem uma luva.

Fizeste-me lembrar o "lado lunar" da nossa existência, teias que insistem em nos prender. E podem fazê-lo... até ao dia D...

Uma das vantagens de envelhecermos é precisamente tentarmos seguir as nossas utopias (engraçado, um dos meus próximos textos tem precisamente este título, utopia, estou a retocá-lo), procurando que se tornem realidade e ignorando os abelhudos. Há muito que segui a voz do coração e também já disse muitas vezes... que se foda!

Beijinho azul*

Angel of Light disse...

Então o meu fã nunca mais me foi fazer uma visita! Ai, ai,... que não estou a gostar da brincadeira! Será que o meu fã, arranjou outra fã e já não quer saber daqui do Angel? Ou será que é preciso eu desalinhar todas as tuas letras? Hihihi

Beijinhos cheios de Amor, Paz e Luz!

Maria Clarinda disse...

Adorei!!!!!!
Força! Jinhos mil!