domingo, 20 de abril de 2008

PRESENTE ENVENENADO


Enquanto vagueei
sem sentido
aprumado pela dor
que sem medo enfrentei
sem rumo definido
nas ternas asas de um condor
-
Ocultando a ira que me seduz
para da escuridão fazer luz
a quem sei que muito me trai
na penumbra do sol que se esvai
tratarei de lhes ofertar
ricos manjares e botões de rosa a florir
ocultando a mágoa e conseguindo sorrir
a quem tem prazer em me magoar
-
Quando tudo for funesto
e todo o sabor a fel,
fingirei então ser honesto
tornar-me-ei em igual cruel
-
Serei falso perfeito amor
serei equívoco da simpatia
distribuirei frio como fosse calor
os presentearei com cínica magia
-
Como um presente envenenado
mimo dado sem ser sentido
qual liberdade do infeliz condenado
serei então anjo em pele de bandido
-
Acenarei com fingida amabilidade
dar-lhes-ei fortunas e tesouros,
e como um carrasco em capa de humildade
os atraírei aos seus próprios matadouros
-
LETRASALINHADAS

9 comentários:

Xinha disse...

Como se pode ler, dar a outra face está fora de questão!:)

Sunshine disse...

Será que é preciso ficares igual aos outros? Será que não nos podemos diferenciar por ser como somos? Será que estes que te magoam não estão a semear o que um dia irão colher?

A Sonhadora disse...

Por mais amargurada que seja a vida, há sempre lugar para a paz e serenidade...
Obrigada pela visita
Beijo

Maria Clarinda disse...

(...)Ocultando a ira que me seduz
para da escuridão fazer luz
a quem sei que muito me trai
na penumbra do sol que se esvai
tratarei de lhes ofertar
ricos manjares e botões de rosa a florir
ocultando a mágoa e conseguindo sorrir
a quem tem prazer em me magoar(...)

Gostei muito deste teu poema. Jinhos

Angel of Light disse...

Olá grande amigo. Voltei depois de tratar de uma Pequena Alma cá de casa.

Gostei destas tuas palavras mas nunca as transformes em realidade, está bem! Tu és um perfeito amor, és simpatia, és carinho e magia!

Gostei do que escreveste no meu blog. Como ajudar TODAS as crianças deste mundo?... Obra quase impossível!!! Por isso, ajudemos aquelas que nos rodeiam, aquelas que estão ao nosso alcance, pois mais vale fazer pouco e bom, do que muito e não sair nada! Ajuda as crianças à tua volta. Não sei se és pai, tio, ... mas respeita-as compreendendo-as, pois todas elas são diferentes daquilo que fomos na nossa infância e precisam do nosso apoio e, essencialmente, do nosso Amor.

Beijinhos cheios de Amor, Paz e Luz!

Maria Teresa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Traição, ódio, vingança, desengano... mas escuto, essencialmente, demasiado amor neste poema.Da dureza nas palavras alinhadas, também se gosta.

f@ disse...

Lobo com pelo de cordeiro ....
beijinhos das nuvens

passa por lá que tens desafio com uma bicicleta de prémio...

Luisa Raposo disse...

Resolvi devolver a visita , gostei imenso de tudo o que li .

Deixo-te um dos meus poemas .
Beijo


No despertar da felicidade a revelação ,
Acima de tudo o amor e compaixão ,
Venho relembrar a perda da consciência ,
O veneno de toda a nossa existência .

Meu corpo já alteiou caminhos destroçados ,
Seguro um escudo , um longa espada ...
Que trouxe de mundos do Além ignorados .
Alargo os horizontes , sigo a minha estrada !


Amo todos aqueles que a sorte me destina ,
Abro todo o meu coração , encaro a sina ,
Trato por tu tudo o que a sorte me revela ,
Beijo-lhe as mãos e a sorrir deito-me nela ...